sábado, 3 de novembro de 2012

Amigo: um ser que a vida não explica



O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...
Vinicius de Moraes

Não há garantias de que alguém te acompanhe pelo resto da vida à venda na esquina. Não há contrato de parceria e nem recomendação que garanta que algumas pessoas que cruzam nossa vida permaneçam nela o suficiente para se fazerem eternas. Esperava um contrato que certificasse que por mais voltas que eu ou o mundo desse, jamais nos perderíamos. 

Não há garantias de que a pessoa que você escolheu para amigo, para melhor amigo, também o tenha feito. Não há garantias de que dívidas serão pagas, acordos cumpridos, necessidades satisfeitas. Não há garantia que garanta coisa alguma.

Mas há alguma coisa que acredito nem ter nome. Como trata-se de um sentimento meu (e pronto), arrisco dizer que não tem nome e nem forma. É algo que existe pela necessidade de existir, de cumprir um papel de existência e só. E não ache que é pouco porque cabe num sonho e numa vida, logo... 

Não tem forma, nem nome, nem explicação, mas tem utilidade. Causa bem-estar, alegria daquelas que infantilizam, causa satisfação, felicidade, melhora a auto-estima, e proporciona muita, muita alegria de viver. Sem delongas, falo de duas pessoas que entraram na minha vida a apenas cerca de três anos mas que mais parecem 30, tamanha a intensidade da convivência. Foram muitos quilômetros rodados durante esse tempo. Conhecemos muitas coisas juntos e resolvemos encarar o mundo também juntos, ao belo estilo "o que dá para um..." Hoje é uma tremenda confusão se somos amigos, irmãos, colegas e sócios, ou o mais provável, tudo junto e misturado. 

Essa passagem rápida é para agradecer aos meus sócios em empreender sonhos, Henrique Nunes e Rodrigo Porto, por serem quem são, por estarem sempre ao meu lado, por acreditarem nos meus sonhos e nas minhas loucuras. Estamos indo para o Rio para a indicação ao prêmio de melhor piloto de programa de TV e dedico essa indicação a eles. Por mais que eu me esforce, me dedique, não conseguiria mudar um passo se não fossem esses dois. A vocês, meus caros, dedico meu trabalho e meu desempenho. E saibam que o maior prêmio que eu poderia ganhar, já ganhei, que é tê-los como sócios, como amigos e como colegas de trabalho, conhecendo o profissional que eu sei que vocês são. Fica aqui minha homenagem e meu carinho. 

Que venha o Rio!

Para respeitar o estilo de cada um, ao som de sons distintos:







Um comentário:

Rodrigo Porto disse...

Sem sombras de duvidas, tenho certeza que da minha parte quanto ando Nunes é extremamente mutuo e gratificante, tudo o que vc escreveu diz e se entrega de um todo que só quem está do teu lado percebe, você não precisou de provas, solicitações ou aprovações para estar onde está, pq assim deve ser! Obrigado por estar aqui, lá ou ali, mas sempre do nosso lado, grande abraço meu meu inadjetivavel parceiro!

Rodrigo Porto