quarta-feira, 27 de outubro de 2010

já é novembro e eu nem vi

*"No Teatro o homem encontrou um meio não de ser outro, mas de poder realmente ser ele mesmo"

há uma certa época do ano em que bastam pequenas mudanças para que eu reveja uma série de conceitos e idéias que até então me pareciam óbvias.

esse período não tem data certa mas geralmente chega com o verão, com os dias mais quentes, mais brasileiros, mais bonitos.

não sei se isso acontece com todo mundo, mas deveria. é como se fosse uma proteção natural, um fenômeno mais inconsciente que consciente, que de repente surge cismando de me forçar a fazer uma série de reflexões e análises sobre tudo à minha volta. essa análise se torna mais clara e transparente na proporção em que vou querendo coisas. querendo trabalhos novos, uma viagem não programada, o reencontro com aquele amigo que não via a tempos, uma nova proposta de trabalho, uma arrumada nas gavetas e no quarto, um final de semana num hotel fazenda com a namorada. nesses quereres encontro nova energia, novas razões de felicidade.

e nisso, novembro, meu mês de planejamento tá aí batendo à porta. tô cheio de ânimo e disposição para encarar alguns novos projetos. essa semana começamos as primeiras leituras da "leitura dramática" que faremos no final de novembro. nada melhor que encerrar esse ano nos palcos, em cena. nada mais renovador.

já comecei também meus planos natalinos e já estou pronto para ouvir a musiquinha da simone ("então é natal, e o que você fez? o ano termina e nasce outra vez...). já tô pensando na graça das noites iluminadas e na lista de pedidos, que esse ano será menor que a de agradecimentos.

esse ano também aprendi muito e entre tantas descobertas, aprendi que tenho um tempo muito valioso que não pode ser perdido assim à toa, principalmente com coisas e pessoas erradas.

falando em pessoas, aprendi muito sobre elas e até experimentei (ou seria "desenvolvi?) novos sentimentos, inclusive. aprimorei meus ideais, minhas atitudes, meu modus vivendi. mudei de emprego, de rotina, de perspectiva de vida. comecei a semear novas sementes em solos adversos e estou otimista com as colheitas para o ano que vem.

ah, também estou feliz com meus novos horários. começo a encarar academia nos fins de tarde e treino de corrida nos finais de semana. nesse novo planejamento coube até uma peladinha e umas aulinhas de inglês.

bom, boa viagem para quem vai viajar nesse feriadão prolongado. vou procurar descansar um pouco e estudar alguns textos. dia de finados vou visitar o jazigo da família, coisa que nunca fiz (tinha problemas com essa coisa de morte).

felicidades a minha amiga alessandra barroso que aniversaria dia 02.

e como diria o poeta (acho que fui eu quem disse isso, na verdade): um passo à frente e você já não estará mais no mesmo lugar.

hasta la vista, hermanos

*Joakim Antonio

3 comentários:

Paulo disse...

O que uma viagem para Jacuri não faz com o sentimento de um caboclo?!? Se enche de inspiração e transborda alegria! Parabéns! Eu gostaria de poder dar um pulo em JACURI CITY, quase todo fim de semana!
Abraços, boa viagem e um super feriadão pra vc Fiote!!!

Camila Sol disse...

Mesmo tão distante, mesmo tão ausente da sua vida, eu ainda me sinto nela. me vejo muito em você, ou pelo menos tento ser um pouquinho de você.
saudade das tarde na padaria, quando eu acalmava com suas palavras e aprendia a ter controle dos meus atos.
Hoje seu blog me deu uma leve sensação de alegria, um incentivo pra mudanças, um tok de esperança.
As mudanças devem ser boas sim, depois que a gente apende a lidar com ela.
Se cuida..

bjuh

Hélio Silva disse...

Bom Dia Nélio...

Gostaria de parabenizá-lo pelo Blog, gostaria também de fazer contato com voce, pois tenho interesse em tomar alguns conselhos quanto ao jornalismo.
Por favor, se possivel, entre em contato comigo

Abraços