terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

2010 com Sabino, Macacos e muito trabalho.



Voltei. Tirei umas férias bem longas do blog e de outras atividades, mas estou de volta.

O final de ano foi bem corrido. Um desnorteamento misturado a muita intensidade não me permitiu escrever. Ou se escreve, ou se vive. Ainda não aprendi a fazer as duas coisas ao mesmo tempo, com um nível considerável de qualidade para ambas. É importante que eu desacelere um pouco o ritmo para escrever, tanto aqui quanto em outros projetos pessoais.

Pela primeira vez não fiz aquela longa lista de promessas para esse ano. Já entrei em 2010 saindo do plano das idéias. Aos poucos vou me encontrando, me deparando com minhas próprias potencialidades e limitações. Mesmo um pouco mais "pé no chão", as idéias e os projetos continuam brotando demasiadamente.

Passei as festas de final de ano muito bem, obrigado! Foi das melhores da minha vida. Estive na companhia de amigos conterrâneos e da família. Foi talvez a vez em que me senti mais próximo da minha cidade e do povo de lá. Revi alguns conceitos.

Não fiz a viagem que tanto queria para o nordeste brasileiro, mas sofri menos do que imaginei sofrer por não ter ido, principalmente por que viajaria com meus dois grandes amigos idealistas. Além de histórias loucas (como a da aparição de um disco voador) e excitantes (como o caso das gringas ensadecidas), eles também me trouxeram um cordão com um pingente que traz meu nome escrito num grão de arroz, além de uma cachaça que veio com um carangueijo dentro da garrafa e um cd de músicas nordestinas. Meus eternos companheiros!

Profissionalmente, mudou tudo. Me desapontei muito com certa pessoa jurídica e conheci outras físicas maravilhosas, apesar de se fazerem jurídicas. Comecei o ano com um sonho de consumo de muitos brasileiros realizado: Pude escolher entre mais de uma opção de trabalho, e todas elas imensamente prazerosas. E como toda escolha gera ansiedade, tive as primeiras insônias da minha vida.

Estou trabalhando na produção de um espetáculo maravilhoso, que estréia em abril. É muito bom voltar ao teatro assim, por trás das cortinas, aprendendo, absorvendo cada etapa da produção, da criação. O teatro me devolveu antigos sonhos.

Vista de "Macacos"


Também estou trabalhando com um material do Fernando Sabino. Não dá pra exlicar a sensação de estar com parentes e amigos dele, com pessoas que viveram com ele. Tenho me debruçado na obra e vida de Fernando. Li pela terceira vez "O encontro marcado", um dos meus romances prediletos. Trabalhar com a obra de Fernando Sabino muda um pouco minha forma de enxergar o mundo e a mim mesmo. Passei a ver poesia até nos paralelepípedos.

E como o ano já começou com muitas descobertas, descobri Macacos. Que lugar! Prometi a mim mesmo que ainda moro lá antes de morrer. Macacos se tornou meu refúgio.

Tenho trabalhado mais, lido mais, ouvido mais e falado menos. Busquei inspiração no Plano de Metas de Juscelino (50-ANOS-EM-5) e criei o meu 10-ANOS-EM-1. Estou aplicando melhor meu tempo, me organizando mais e até vou ter caderno nesse período da faculdade. Quem sabe meu livro até saia esse ano?

Estou acabando de ler "O encontro marcado", do Fernando Sabino pela quarta vez e já vou emendar o que meu caro amigo João me deu hoje de presente: "A ilustre casa de Ramires", do Eça de Queirós.

Pena o dia ter só 24 horas e pena eu precisar dormir tanto. A sensação que tenho é que há coisas para serem ditas e feitas que só servem se for hoje, num tempo único.

Não sei até quando durarão minhas vistas, que inclusive já me pediram mais um grau nos óculos, minhas pernas vigorosas, que já corre menos numa pelada e esse corpo esguio, que tem se sentido mais cansado ultimamente.

(Minha mãe diz que meus excessos ainda acabam comigo.)

Eu sou assim. Não sei ser mais ou menos. Coloco paixão, ou não. E se tem paixão, tem 100% do meu comprometimento.


Ao som de Tambolelê

4 comentários:

Matheus de Azevedo disse...

Muito bom....

Duas frases que eu gostei:

"Pena o dia ter só 24 horas e pena eu precisar dormir"

"criei o meu 10-ANOS-EM-1."

Liv Milla disse...

Estava com saudade dos seus posts, sempre inspiradores...
Muito sucesso nessa nova vida...

E também gostei da frase: "Pena o dia ter só 24 horas e pena eu precisar dormir tanto..."

Beijos meu amigo... saudade!

Débora disse...

que bom que você voltou a escrever.
Gosto de passar aqui e ler suas simplicidades escritas de uma forma tão bonita e tão "Nélio Souto".

Que todos os seus planos não planejados se concretizem.
E que a poesia continue acompanhando você.
Ainda há muita coisa pela frente...

João Killer disse...

Como sempre e sinal de evolução leio mais um amigo dizendo que reviu seus conceitos. fico feliz por seus projetos, vontade e sonhos estarem se alinhando e viver 100% em tudo que faz cansa mas e recompensador no fim. Macacos, realmente é um lugar fora do serio. Se um dia realmente terminar sua vida por lá, irei passar o verão na sua casa, tomando um chá de morango silvestre no fim de cada tarde. rsrsrs