terça-feira, 24 de novembro de 2009

mudou tudo



e eis que muda tudo.
e eis que de repente eu não sou mais eu
(ou agora é que sou?)
olhei pra mim e não me reconheci.
me corrompi.

e eu era o quê?
era alguém sem respostas, isso é o que eu era. com muitas perguntas e sem respostas.
(continuo sem respostas, mas pelo menos agora não as busco mais nas pessoas. vou à luta colhê-las)
paliativos são para cômodos covardes.
eu quase não me perdôo.
eu, um cômodo covarde!

fiz discurso falso-moralista. desci o pau na futilidade e não fiz outra coisa, senão me "futilizar".
"futilizei" meus sonhos,
"futilizei" minha ideologia,
"futilizei minha existência.

e eis que me encontro.
e eis que vou de encontro ao meu resgate,
minha salvação,
minha redenção.

e eis que consigo verbalizar,
materializar uma existência latente, convicta, certa ao menos do que não quero.
(não posso mais deixar de ser eu. deixar de mudar o mundo, deixar de acreditar que posso.)

é bom saber que não estamos sozinhos. acabo de encontrar o último ideologista que respira o mesmo ar que eu. voltei a acreditar em mim, nas pessoas, no mundo.

e nasce então minha descontrução, como um ator em processo de criação indo ao encontro da sua personagem. muitos atores começam essa composição de um ser com vida, de fora pra dentro. elabora os trejeitos, o andar, o gesticular, os caguetes. quando se dá conta de que a "casca" está pronta, desconstrói tudo, tira tudo que é sem vida e logo, sem verdade. os "sem porquês", os exageros, tudo pra entrar a sensibilidade, a carga existencial do personagem, que essa sim, com propriedade, estimulará tudo que é externo, visto, ouvido, tocado, sob um novo olhar, um novo acontecer. acho que somos aquilo de que o coração está cheio. quem nos apresenta enquanto pessoa é nossa essência.
a essência é sentida.

sabe tudo aquilo que você achava que precisava pra ser alguém realizado e feliz?
esquece!
você não precisa de nada disso.
eu não preciso de nada disso, de nada daquilo. eu preciso de mim, completo, intenso, fazendo o que acredito, ao lado de pessoas na qual acredito.

por isso me encontrei,
me re-modelei,
fiz alguns ajustes
(uma tatuagem com um significado muito importante)
e agora comprei a briga e escolhi meu lado: apóio a sensibilidade, o olhar. admiro quem vai além, quem se abdica do cômodo para se conhecer, se olhar no espelho e se encarar. quero do meu lado pessoas que fazem a diferença.
(e viva a diferença!)

é utópico?
-não. você ganha habilitação para mudar o mundo quando você muda a você mesmo.

acho que é isso. depois de quase dois meses sem postar, venho fazê-lo numa ocasião muito mágica e especial.
abaixo, uma música que marca muito esse momento, e um trecho do pensador norte-americano jim rohn, que diz:

Deixe outros viverem vidas pequenas, mas não você.
Deixe outros discutirem sobre coisas pequenas, mas não você.
Deixe outros chorarem por pequenas feridas, mas não você.
Deixe outros deixarem seus futuros na mão de alguma outra pessoa, mas não você.



"Solo le pido a Dios por Nicaragua- Mercedes Sosa"

7 comentários:

Marcos Oliveira disse...

"mudou tudo" é quase um manifesto a descontrução....
Uma prosa poetica feroz.
VIVA O DESCONTRUTIVISMO!!!!!!!
descontruir é contruir de ponta a cabeça

João Killer disse...

"coisa, senão me "futilizar".
"futilizei" meus sonhos,
"futilizei" minha ideologia,
"futilizei minha existência."

O reconhecimento e a reconstrução pra um novo começo. Parabéns cara. Acredito que cada vez mais você vai se tornando uma pessoa mais completa e vai entender que as vezes as futilezas são algo agradável, nem só de sabedoria e buscas vive o homem. Bom te ler, mesmo que isso seja mais do que mensalmente.

Liv Milla disse...

Uau...
Será que ainda te reconhecerei?
Ou será que não mais me reconhecerá?
Quero saber o que está havendo...
Mas seja o que for: é bom saber que se encontrou!!!
Também estou em busca disso...
Beijos...

www.blogdolalo.com.br disse...

Que bom que fez as pazes com o blog, estava com saudades e voltou em grande estilo. Amei!
Mudar é sempre maravilhoso!
Mudar é nascer de novo.
Mudar é refletir.
Mude sempre!
Beijo no coração.

Anônimo disse...

E a corrente se inicia...abraços fraternos do irmão menor,
JOãooooooo

Camila::Jornalista disse...

Eu espero um dia poder encontrar o que voce encontrou. Espero e torço muito para que um dia eu volte a acreditar e confiar nas pessoas e consguentemente ser mais feliz. Eu cresci muito ao seu lado. AChei lindo essa tatuagem. Acho maravilhoso cada minuto com você a cada palavra sua. Cresci Muito ao seu lado (as poucas vezes que estivemos juntos e que eu espero se tornar uma constante). Talvez com você eu encontre as respostas para minhas perguntas ou aprenda a procurar em algum caminho. Tenho admiração enorme e torço pelo seu sucesso. Conte comigo pra continuar seguindo...crescendo. Beijos...

Graça Campos http://gracaepoesias.blogspot.com/ disse...

Parabéns, Nélio!

A cada dia uma descoberta, um aprendizado enriquecendo nossas experiências!

Um abraço com admiração

Aventureiros de ser


Aventureiros de ser
Natureza somos
Somos o que fazemos
Além de pensar o que pensamos
Éter, Fogo, Terra, Ar
Água Doce, Céu e Mar
Diante da soma há pedaços
Irracionais, desmedidos.
Somos Tudo e Nada somos
Somos peças de um mosaico
De um eterno caminhar...

Graça Campos
Belo Horizonte, (14/06/2008).