quinta-feira, 28 de maio de 2009

"COMIDA DE BUTECO" CHEGA AO RIO DE JANEIRO

Rua Guaporé, 680 - Brás de Pina - Rio. (21) 3866-1333 (foto: www.originalcarioca.blogspot.com)

Me sinto lisonjeado quando alguma coisa que nasce aqui em Minas faz sucesso em outros estados. Nós que não somos nem Rio nem São Paulo, ainda não conquistamos nossa independência, a exemplo de Porto Alegre que assumiu sua identidade e hoje faz seu cinema, seu teatro, sua música, sua arte, sua literatura, tudo sem sair dos pampas. Quem quiser apreciá-los que vá até lá buscá-los. Grandes escritores e alguns cineastas (talvez só um seja nacionalmente conhecido) vivem semi-reclusos, em constante processo criativo, com os pés fincados em sua terra.

Bom, digo tudo isso por que, como poucas (pouquíssimas) vezes, testemunho um projeto genuinamente mineiro chegar ao Rio com considerável sucesso. O famoso evento culinário mineiro "Comida de Buteco", abre sua segunda edição na cidade maravilhosa.

Convenhamos, o evento faz muito sucesso aqui em Belo Horizonte, onde foi criado a dez anos (e é de fato, de muito bom gosto e grado), mas acho que tratando-se de buteco mesmo, o festival é muito mais a cara do Rio do que de Minas.

Embora Belo Horizonte seja a cidade dos bares, o Rio (dos butecos, eu acho) também não fica pra trás e se fosse feito um senso (existe um senso de bares?) acho que daria no mínimo um empate.

No Rio foram inscritos 31 estabelecimentos e os critérios de competição são basicamente os mesmos daqui de Belo Horizonte. Dos 31, sete participam pela primeira vez.

Na última edição carioca, mais de 100 mil pessoas passaram pelos bares da competição (não conheço os números de Belo Horizonte) e o bar vencedor foi o "Original do Brás", meu refúgio de nostalgia na época em que morei em Brás de Pina.

Inevitável não comparar, mas acho que no Rio o evento tomou repercussões bem mais originais do que aqui em Belo Horizonte, visto que lá, o vencedor foi um humilde (mas de extremo bom gosto) bar, no subúrbio do Rio, à beira da linha do trem. Do bar se ouve a voz desafinada da "bilheteira" anunciando pelo microfone: "Atenção! Dará entrada na plataforma, trem com destino à Saracuruna. Atenção! Saracuruna. Saracuruna, desembarcando".

Estação de Brás de Pina (foto: www.estacoesferroviarias.com.br)

O anúncio da moça da Supervia se mistura com os desesperados perueiros com altofalantes ensurdecedores, com espécie de buzinas com som de cavalo relinchando, cachorro latindo, ou então a estridente e repetitiva "Tem vaga! Tem vaga! Tem vaga! Tem vaga! Caxias, Caxias, tem vaga! Penha, Olaria, Ramos, Bonsucesso, tem vaga".

Aqui em Belo Horizonte eu não soube de nenhum bar que tenha perticipado do evento lá pelas bandas do Barreiro ou Venda Nova.

Conheci alguns dos 31 bares da competição desse ano (no Rio) e mais uma vez, a pluralidade carioca me encanta. Entre eles, o Mangue seco, na Lapa, já se adequou à nova ortografia e serve uma "Linguiça sem trema", um dos pratos que apresentará no festival.

Destacando apenas alguns dos bares que não estão no circuito zona sul do Rio, temos o Aconchego Carioca, na rua Barão de Iguatemi 388, na praça da Bandeira (Purê de batata baroa com camarão a R$ 12), o Adonis na rua São Luiz Gonzaga 2.156, Benfica (Caldinho de rabada com torradas R$ 10), o Antigamente, na rua do Ouvidor 43, Centro (Pastel de costela R$2,90, a unidade), Bar Brasil na avenida Mem de Sá 90, na Lapa (Kassler defumado com mostarda escura R$ 34, a porção) e o Bar do Mineiro, na rua Pascoal Carlos Magno 99, em Santa Tereza (Pastel de galinha à cabidela R$18, a porção), entre outros tantos.

Fica aí então a dica para os meus amigos que moram no Rio e apreciam uma boa comida. Para meus amigos de Belo Horizonte, compartilho o lamento por alguns mineiros acharem que o bom gosto mineiro está apenas na Savassi.

Bon Appétit!

Um comentário:

Liv Milla disse...

Nossa, eu que moro aqui e você sabe mais dos eventos do que eu...
Ainda bem que não ligo muito pra comida! Hehe...

Aliás, falando em bares... essa fama que as mineiras tem de gostar de uma birita me irrita!!! Eu, sempre julgada como mineira fajuta (por não gostar de comer e beber), sempre acabo levando a fama de cachaceira sem ao menos colocar uma gota de alcool na boca... It's bad!!!

Tanta coisa acontecendo... queria poder conversar!