sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Rir ou pensar?


Pareço uma criança sempre que tenho oportunidade de falar sobre teatro. Como encontrar pessoas tão interessadas quanto eu no assunto está cada dia mais difícil, resolvi escrever. Escrevendo, encontrei uma forma de manifestar toda a minha indignação com a Campanha de Popularização do Teatro, aqui de Belo Horizonte.
Fico indignado com essa campanha, que pra mim, é de popularização da Secretaria de Cultura e não do teatro. Teatro não é isso aí que tem lotado as platéias de Belo Horizonte. As pessoas esperam o ano inteiro para, quando chega a tal campanha, enfrentar uma hora de fila no Mercado das Flores para comprar ingresso a 10 reais - considerando isso preço popular - para assistir à montagens de péssimo gosto, com alto teor de preconceito e doses cavalares de exagero, que vai do figurino à interpretação.
São tantos espetáculos, que surgem teatros que eu nunca ouvi falar. Acabam com a imagem do teatro e ninguém faz nada.
Esse ano, decidi não compactuar com essa desvalorização. Não vou assistir à espetáculo nenhum desses com temática de "bichinha", de "suburbano da zona norte", de "briguinhas ridículas" de casais, entre outras pedidas de um cardápio recheado de porcarias. Assovios e risadas soltas da platéia, pra mim, não significa sucesso. Antes de me fazer rir, o teatro deve me fazer pensar.
Certamente quem faz a seleção dos espetáculos que vão para a campanha de popularização, não deve ir ao teatro.

Um comentário:

Liv Milla disse...

>>PLAC, PLAC, PLAC<<

(Aplausos!)

Meu amigo,
Infelizmente isso é um problema em nível de Brasil, no Rio não é muito diferente!

Lógico que temos peças maravilhosas por aqui, que nos fazem sair da sala com a boca aberta e babas escorrendo pelo cantinho da boca (eca! rs...), mas em sua maioria o besteirol sem sentido nenhum tomou conta do Rio de Janeiro (talvez do Brasil) e lotam salas, arrancando aplausos e gargalhadas da plateia despreocupada que pagou 50,00 para assistir aquilo...

O problema é que essa mesma platéia não tem essa preocupação com o futuro do teatro, porque em sua maioria, esses 50,00 não fazem tanta falta pra eles como faria pra nós e pra outras pessoas... Essa parte da população que cai na gargalhada com piadas preconceituosas não tá nem aí pra realidade do nosso país e muito menos do nosso teatro...

Essas campanhas de popularização do teatro, que a principio seria para dar acesso às pessoas menos favorecidas culturalmente, na verdade só servem para fazer com que esse mesmo público que vai ao teatro o ano inteiro pague um pouco mais barato pelas mesmas peças onde pagariam 50,00... Não adianta fazer campanha "Teatro para todos" durante um mês, se a necessidade é para o ano inteiro...

O publico que não tem acesso não vai ao teatro durante a campanha só porque está barato... vai porque é aquilo que podem pagar, mas gostariam de ir o ano inteiro.

Enfim, isso tudo não passa de uma política hipócrita, como muitas outras que vemos por aí... Como dizia a Elza, isso tudo é uma grande bobagem!

Aqui no Rio a campanha Teatro para Todos do ano passado, veio com peças de 25,00... E desde quando 25,00 é um preço popular??? Com 25,00 tem gente que faz o mercado da semana............

Beijo amigo...........